• Document: USO DE TECNOLOGIA DE PRECISÃO NA SILVICULTURA DA SUZANO PAPEL E CELULOSE
  • Size: 431.95 KB
  • Uploaded: 2019-04-16 18:23:00
  • Status: Successfully converted


Some snippets from your converted document:

Manutenção de Florestas e Manejo Integrado de Pragas USO DE TECNOLOGIA DE PRECISÃO NA SILVICULTURA DA SUZANO PAPEL E CELULOSE Lindenberg Rodrigues Perpétuo1 Tecnólogo em Gestão da Agropecuária, Especializado em Gestão Empresarial, Gerente de Desenvolvimento e Excelência Operacional SP, Suzano Papel e Celulose, e-mail: lperpetuo@suzano.com.br RESUMO O uso de tecnologias de precisão em processos florestais tem adquirido significativa importância junto às organizações de um modo geral, principalmente por ter se tornado um dos principais fatores de mudança de conceitos, visando potencializar a qualidade e produtividade florestal. Estas tecnologias são fundamentais para a exploração das oportunidades de otimização de processos, redução de custos e suporte para a gestão operacional, garantindo a sustentabilidade dos negócios florestais. Desta forma, este trabalho apresenta a experiência da Suzano Papel e Celulose na implantação e uso destas tecnologias disponíveis no mercado, em especial aquelas aplicadas às atividades de preparo de solo, fertilização e aplicação de herbicida, que serão detalhadas adiante. Para a Suzano, a inserção de ferramentas de precisão na operação florestal é um fator chave na geração de valor de nossos povoamentos na busca por custos competitivos de silvicultura e na alavancagem da produtividade florestal. Palavras-chave: Silvicultura. Precisão. 1 Tecnólogo em Gestão da Agropecuária, Especializado em Gestão Empre- sarial, Gerente de Desenvolvimento e Excelência Operacional SP, Suzano Papel e Celulose, e-mail: lperpetuo@suzano.com.br 181 3º Encontro Brasileiro de Silvicultura INTRODUÇÃO O interesse da Suzano Papel e Celulose no uso de tecnologias de precisão aplicadas à atividade florestal vem desde 2008, quando este tema passou a figurar com mais ênfase no setor. Desta forma, em 2010, iniciamos um projeto denominado “Valor em Ação Tecnologia”, que tinha como objetivo principal buscar alternativas para “modernizar” a silvicultura na Companhia, até então realizada com muitas atividades manuais e/ou mecanizadas, porém sem máquinas e implementos totalmente adequados às atividades florestais. Neste contexto, abriu-se a possiblidade de estudar e implementar ferramentas de precisão, com vistas a melhorar o controle operacional, a qualidade das operações e otimizar o uso dos recursos aplicados. Após as etapas de avaliação e conceituação do projeto e revisão do processo silvicultural, foi possível desenvolver um programa de modernização considerando o aporte de tecnologias disponíveis no mercado e de ferramentas de gestão que possibilitavam a otimização de recursos e a redução dos custos de formação florestal, tendo como uma de suas importantes etapas a transição do “modelo generalista” para o “modelo especialista” de execução das etapas do processo. Figura 1 - Processos Generalistas x Processos Especializados 182 Manutenção de Florestas e Manejo Integrado de Pragas A revisão do processo possibilitou a inserção de novas tecnologias de manejo operacional que permitiram a aplicação plena dos conceitos propostos e consequentemente a inter-relação entre as etapas do processo proposto (olhar sistêmico), que passaram a ser aplicados por empresas especializadas e sustentados por ferramentas de gestão das entradas e saídas de cada etapa do processo. O uso de ferramentas de precisão na silvicultura representa uma nova forma de produção e administração de recursos florestais. O conhecimento pré-existente e a inclusão das variabilidades espaciais e temporais dos fatores de produção passam a contar com o apoio de tecnologias de última geração. Sendo assim, é necessário o acompanhamento e gerenciamento de um volume significativo de informações que variam de acordo com o espaço e o tempo. Considerando a complexidade e dinamismo dos processos que envolvem a produção florestal, faz-se necessário ampliar a discussão sobre o tema, de modo que se possa dispor de informações que permitam a análise do potencial produtivo da floresta, por meio do uso de tecnologias adequadas. MATERIAIS E MÉTODOS O programa foi conduzido entre o período de 2010 a 2012 na Su- zano Papel e Celulose, iniciando pela Unidade Bahia e em seguida abran- gendo as unidades São Paulo, Maranhão e Piauí; com a instalação de projetos de desenvolvimento para avaliar potenciais ferramentas de pre- cisão disponíveis no mercado, visando a melhoria da qualidade, redução de custos, otimização de estrutura operacional (equipamentos e pessoas), ganho de produtividade e obtenção de informações que possibilitassem a imediata tomada de decisão para a melhoria cont

Recently converted files (publicly available):