• Document: TEORIA ESTRUTURALISTA
  • Size: 24.2 KB
  • Uploaded: 2019-04-15 17:24:43
  • Status: Successfully converted


Some snippets from your converted document:

TEORIA ESTRUTURALISTA 1. Origens 2. Idéias Centrais 3. Contribuições à Teoria Estruturalista 4. Críticas à Teoria Estruturalista 1. Origens Alguns autores identificaram a corrente, que foi denominada corrente estruturalista, cujo enfoque foi estabelecer uma crítica sobre o que tinha sido escrito até então dentro desse campo. Com isso foram passados em revista os conceitos da Escola Clássica, de Relações Humanas e da Burocracia , tomando-se novamente a retórica sobre organizações e sua complexidade. As escolas anteriormente estudadas tinham visão parcial dos elementos que compunham uma organização. E é impróprio considerarmos que o Estruturalismo constitui por si só um corpo teórico com inovações conceituais sobre a administração, mas não o é considerá-lo a forma organizada de analisar os mesmos problemas já abordados de maneira fragmentada. Ao estudarmos a organização sob a óptica estruturalista estamos necessariamente fazendo uma análise globalizante de todos os fatores que compõem o todo organizacional. Mais que isso, estamos reconhecendo a integração e interdependência desses fatores. Outro aspecto importante do conceito de estruturalismo é a influência que esses fatores exercem uns sobre outros, donde surge a necessidade de reconhecer a existência de um ambiente onde eles se inserem. A finalidade da organização, em um sentido amplo, depende de alguma combinação dos seguintes fatores: das hipóteses concernentes à natureza do homem, da unidade de análise, ou seja, dos níveis institucionais, individuais e organizacionais e, por último, do ponto de partida da organização. Os estruturalistas buscam maior compreensão da organização com uma tentativa de classificação a partir de critérios próprios de cada pensamento. O Estruturalismo vê a organização em constante interação com o ambiente. Dentre os pensadores estruturalistas pode-se citar : Max Weber, Robert K. Merton, Philip Selznick, Alvin Gouldner, Amitai Etzioni e Peter M. Blau. 2. Idéias Centrais As idéias centrais do Estruturalismo, são: · Homem Organizacional – é aquele que desempenha papéis em diferentes organizações. Este homem tem por características a flexibilidade, a tolerância à frustrações, capacidade de adiar a necessidade de recompensas e o permanente desejo de realização. O Homem organizacional desempenha vários papéis, dependendo do grupo e da organização em que está inserido. · Conflitos vistos como inevitáveis – Na visão dos estruturalistas não existe harmonia entre os interesses dos patrões e empregados e nem essa harmonia deve ser preservada pela administração. Para eles , os conflitos, por mais que não sejam desejáveis, são elementos geradores de mudanças e do desenvolvimento das organizações, e por isso, devem ser considerados. · Utilização de incentivos e recompensas mistos – os estruturalistas não deram apenas ênfase aos incentivos monetários, como os clássicos, ou apenas aos incentivos e recompensas psicológicas, como os neoclássicos. Para eles ambos os incentivos e recompensas, monetária e psicológica, deveriam ser considerados, pois o homem organizacional busca tanto a estabilidade econômica, quanto a sua realização pessoal. 3. Contribuições ao Estruturalismo 3.1 Contribuições de Etizioni Etzioni, insatisfeito com as descobertas ocorridas na abordagem de relações humanas, consideradas por ele insuficientes para o entendimento das relações entre o homem e a organização, desenvolveu um trabalho em que obteve uma classificação das organizações considerando suas diferen- tes tipologias e utilizando como base para isso a análise comparativa do controle e da autoridade. Obteve desse trabalho a classificação das organizações em três diferentes categorias: · Organizações especializadas — com atividades de alto nível de especialização de seu pessoal, tendo como fator predominante a autoridade técnica. · Organizações não especializadas — aquelas envolvidas com atividades de produção de bens. Onde há possibilidade de definir objetivos específicos e controle de metas. · Organizações de serviços — o próprio nome já define a sua atividade. A característica diferenciadora dessas organizações é que as pessoas não são vinculadas à sua organização, tendo uma atividade temporária definida pela Tarefa Específica de Assessoria ou pesquisa. A vinculação dá-se por contrato. Segundo Etzioni, existem ainda três tipos de organizações: coercitivas, utilitária e normativa, que podem ser melhor visualizadas no quadro abaixo: T ipo de T ipos de Forma de T ipo de Exemplos contrato organização

Recently converted files (publicly available):