• Document: INVESTIGAÇÃO DE ENTEROPARASITOSES EM PRÉ- ESCOLARES NO MUNICÍPIO DE JUAZEIRO DO NORTE, CEARÁ
  • Size: 185.4 KB
  • Uploaded: 2019-02-13 09:15:55
  • Status: Successfully converted


Some snippets from your converted document:

  INVESTIGAÇÃO DE ENTEROPARASITOSES EM PRÉ- ESCOLARES NO MUNICÍPIO DE JUAZEIRO DO NORTE, CEARÁ Sampaio, M.G.V.(1); Almeida, B.S.(2); Silva, M.J.(1); Santos, B.S.(1); Oliveira, A.D.L.(2) mary.vidal@yahoo.com.br (1) Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, Recife – PE; (2) Faculdade Leão Sampaio – FALS, Juazeiro – CE. RESUMO O Brasil, sendo um país tropical em desenvolvimento, apresenta clima e situação socio-econômica favorável à ocorrência de doenças parasitárias, dessa forma, as enteroparasitoses ainda representam um grave problema de saúde pública no país. Esse estudo de caráter descritivo-analítico, selecionou cinco creches que atendiam crianças na faixa etária de 3 a 5 anos, foram aplicados questionários semi-estruturados para avaliar as condições sócio- econômicas familiares e as características estruturais das creches estudadas. As técnicas coproparasitológicas utilizadas para análise das amostras de fezes foram: Hoffman, PONS & JANER (1934) e RITCHIE (1948). O principal enteroparasita que acometeu os pré-escolares do município de Juazeiro do Norte foi Giardia sp., através do estudo observou-se que a escolaridade dos responsáveis, as condições sócio-econômicas e o local de moradia constituem fatores predisponentes para o acometimento de parasitoses. Resumos Expandidos do I CONICBIO / II CONABIO / VI SIMCBIO (v.2) Universidade Católica de Pernambuco - Recife - PE - Brasil - 11 a 14 de novembro de 2013 Palavras-Chaves: Enteroparasitas, crianças, creches. INTRODUÇÃO As enteroparasitoses ou parasitoses intestinais, ainda constituem um grave problema de saúde pública, pois apresentam altas prevalências no país, acometendo especialmente crianças (OLIVEIRA, 2004). Isso ocorre por falta de saneamento básico, onde o tratamento do esgoto é ineficaz e acaba disseminando, no meio ambiente, organismos ainda viáveis. O próprio homem muitas vezes facilita a dispersão destas formas no solo e na água, quando os contamina com suas próprias fezes ou as de outros animais (PEREIRA, 2007). No Brasil, o parasitismo intestinal nos primeiros anos de vida é menos conhecido que em outras faixas etárias. Entretanto, é significante abordar que o parasitismo já a partir dos seis meses de vida pode estar relacionado ao período do desmame da criança, quando ocorre a admissão de novos alimentos e inicia-se uma fase do desenvolvimento que lhe permite maior mobilidade no ambiente (COSTA-MACEDO; COSTA; ALMEIDA, 1999). As creches são verdadeiras aglomerações de crianças que possibilitam um maior contato direto de pessoa-a-pessoa. Muitas vezes estas apresentam precárias condições de higiene, e por isso são consideradas 2 Resumos Expandidos do I CONICBIO / II CONABIO / VI SIMCBIO (v.2) Universidade Católica de Pernambuco - Recife - PE - Brasil - 11 a 14 de novembro de 2013 um ambiente expositor que facilita a transmissão de parasitas. Esta situação é ainda mais alarmante quando observada em instituições públicas. Este estudo teve como objetivo avaliar a prevalência de enteroparasitas em crianças, matriculadas em creches comunitárias do município de Juazeiro do Norte, Ceará. MATERIAL E MÉTODOS Tipo e Local da Pesquisa Este é um estudo de caráter descritivo-analítico-transversal e foi realizado no Laboratório de Parasitologia Clínica da Faculdade Leão Sampaio – FALS. Critérios de Inclusão e Exclusão Foram selecionadas cinco creches que atendiam crianças na faixa etária (de 3 a 5 anos) com perfis sócio-econômicos diferenciados. De acordo com a divisão realizada pela Secretaria de Saúde, o município de Juazeiro do Norte, Ceará, é seccionado em cinco microrregiões distintas. Desta forma, a seleção das creches aconteceu por sorteio, onde uma creche foi utilizada com representante em cada microrregião do município. O número de amostras foi diretamente proporcional ao número de crianças matriculadas nas creches comunitárias de cada microrregião. 3 Resumos Expandidos do I CONICBIO / II CONABIO / VI SIMCBIO (v.2) Universidade Católica de Pernambuco - Recife - PE - Brasil - 11 a 14 de novembro de 2013 Coleta e Análise dos dados Foram disponibilizados potes coletores para os responsáveis das crianças e nos dias seguintes as amostras de fezes foram recolhidas e encaminhadas para o Laboratório de Parasitologia da Faculdade Leão Sampaio. Além disso, foram aplicados questionários semi-estruturados para avaliar as condições sócio-econômicas familiares e as características estruturais das creches estudadas. As técnicas coproparasitológicas utilizadas para as análises foram Hoffman, PONS & JA

Recently converted files (publicly available):