• Document: SORRIA você trabalha aqui!
  • Size: 5.83 MB
  • Uploaded: 2019-04-16 20:45:10
  • Status: Successfully converted


Some snippets from your converted document:

SORRIA você trabalha aqui! SORRIA você trabalha aqui! 500 insights para endomarketing Analisa de Medeiros Brum Copyright © 2012 Analisa de Medeiros Brum Copyright © 2012 Integrare Editora e Livraria Ltda. Todos os direitos reservados, incluindo o de reprodução sob quaisquer meios, que não pode ser realizada sem autorização por escrito da editora, exceto em caso de trechos breves citados em resenhas literárias. Publisher Maurício Machado Supervisora editorial Luciana M. Tiba Assistente editorial Deborah Mattos Preparação de texto Valéria B. Sanalios Revisão Leticia Carniello Lola Chautchulis Projeto gráfico de capa Douglas Conte Projeto do miolo / Diagramação Nobreart Comunicação Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Brum, Analisa de Medeiros Sorria, você trabalha aqui! : 500 insights para endomarketing / Analisa de Medeiros Brum. – São Paulo : Integrare Editora, 2012. Bibliografia. ISBN 978-85-8211-039-3 1. Administração de pessoal 2. Comportamento organizacional 3. Cultura organizacional 4. Marketing 5. Mudança organizacional 6. Organizações - Administração 7. Planejamento estratégico 8. Serviço ao cliente I. Título. 12-13706 CDD-658.8 Índices para catálogo sistemático: 1. Endomarketing : Administração de empresas 658.8 Todos os direitos reservados à INTEGRARE EDITORA E LIVRARIA LTDA. Rua Tabapuã, 1123, 7o andar, conj. 71-74 CEP 04533-014 – São Paulo – SP – Brasil Tel. (55) (11) 3562-8590 Visite nosso site: www.integrareeditora.com.br Prefácio “ “O gol não sai naturalmente”. Ouvi essa frase de um jogador estran- geiro radicado no Brasil. Pareceu-me que estava reclamando da falta de reconhecimento de algumas pessoas aos esforços da entrega, treino, pre- paração, tática, sintonia, disciplina e renúncia fundamentais de um atleta ou de um time de ponta. Apenas talento não basta para ganhar o jogo. Isso também se aplica perfeitamente ao mundo corporativo. Durante meus nove anos atuando como consultor de empresas líde- res de mercado em diversos países, poucas vezes vi lugares tão bons para trabalhar como a empresa para a qual fui convidado a assumir a presidên- cia em 2009. Era uma empresa em crescimento, com altas margens e inves- timentos, bons salários e benefícios, um objeto de trabalho apaixonante e um ambiente extremamente colaborativo. Mas logo percebi que o índice de satisfação por parte dos colaboradores não era coerente com aquilo que a empresa lhes proporcionava e a MRS Logística estava longe de figurar entre as melhores empresas para se trabalhar. Após um ano de trabalho intenso, especialmente na questão da segu- rança, no modelo de relacionamento entre as lideranças e nos processos de gestão de recursos humanos, avançamos muito e quase chegamos lá. Está- vamos animados com a nossa evolução, mas conscientes de que “continuar fazendo o mesmo” não nos faria chegar lá. O não reconhecimento por parte dos colaboradores nos preocupa- va, mas era comum utilizarmos a desculpa de que eles não valorizavam a empresa por ter sido o único emprego da maioria, assim não tinham como comparar com algum emprego anterior. Outra desculpa era a empresa ter sido estatal, o que provocava uma certa nostalgia nos mais antigos. Um dia, alguém da área de recursos humanos falou sobre uma ferra- menta chamada endomarketing. Minha primeira sensação foi que se tratava de algo utilizado por empresas sem conteúdo para ludibriar seus funcioná- rios, para convencê-los de que trabalhavam num ótimo lugar. Para mim, aque- la ferramenta não teria utilidade na MRS, pois éramos, de fato, uma ótima empresa. Eu acreditava que o reconhecimento acabaria vindo naturalmente. Após muita insistência por parte dos profissionais de recursos huma- nos, concordei em falar com o pessoal da HappyHouse Brasil. Encantei-me com a Analisa imediatamente. Séria, experiente, cheia de conteúdo, fez um diagnóstico preciso das nossas dificuldades. Trouxe muitas ideias e referências externas que nos permitiram a

Recently converted files (publicly available):