• Document: FORMAÇÃO PROFISSIONAL COM QUALIDADE APOSTILA AUXILIAR VETERINÁRIO 1
  • Size: 5.47 MB
  • Uploaded: 2019-02-13 17:02:34
  • Status: Successfully converted


Some snippets from your converted document:

FORMAÇÃO PROFISSIONAL COM QUALIDADE APOSTILA AUXILIAR VETERINÁRIO 1 FORMAÇÃO PROFISSIONAL COM QUALIDADE Auxiliar Veterinário MÓDULO I Sumário Origem dos Canídeos 03 Introdução a Anatomia e Fisiologia Animal 12 Sistema Nervoso 26 Sistema Circulatório 30 Afecções Cardíacas 36 Sistema Respiratório 40 Sistema Digestivo 42 Patologias do Sistema Digestivo 48 Reprodução 57 Cruzamento 63 Gestação 68 Parto 72 Intervenções Cirúrgicas 76 2º edição – AGOSTO/2009 AUXILIAR VETERINÁRIO 2 FORMAÇÃO PROFISSIONAL COM QUALIDADE 1o MÓDULO Aula 1 Origem dos Canídeos Se admitirmos que as origens da Terra remontam, aproximadamente, a 4,5 bilhões de anos, as origens dos primeiros mamíferos (100 milhões de anos), a dos primeiros canídeos (50 milhões de anos) e, seguidamente, as dos primeiros hominídeos (3 milhões de anos) afiguram-se extremamente recentes. Com efeito, se compararmos a história da Terra a um percurso de 1 km, a vida dos mamíferos representaria apenas os últimos metros e a dos canídeos os últimos centímetros! Os canídeos são mamíferos caracterizados por dentes caninos pontiagudos, dentição adaptada a um regime onívoro e um esqueleto dimensionado para a locomoção digitígrada. A sua evolução e diversificação teve início no continente norte-americano, com o aparecimento de uma família de carnívoros semelhantes à doninha atual - os miacídeos – que proliferaram nesse continente há 40 milhões de anos, compreendendo na altura 42 gêneros diferentes, enquanto que hoje apenas se subdivide em 16. A família dos canídeos atuais comporta 3 sub-famílias: os cuonídeos (licaon), os otocinonídeos (otocion da África do Sul) e os canídeos (cão, lobo, raposa, chacal, coiote). A domesticação do lobo A descoberta de pegadas e ossadas de lobo nos territórios ocupados pelo homem na Europa ascende a 40 000 anos, se bem que a sua utilização real não tenha sido autenticada pelo Homo sapiens nos frescos pré-históricos. Nesta época, o homem não era ainda sedentário e alimentava-se com os produtos das suas caçadas, cujas migrações acompanhava. As mudanças climatéricas – o final de um período glacial e o aquecimento brutal da atmosfera – ocorridas há, sensivelmente, 10 000 anos durante a passagem do Pleistoceno para o Holoceno, levaram à substituição das tundras pelas florestas e, consequentemente, à diminuição de mamutes e bisontes, cujo lugar foi ocupado por veados e javalis. Esta redução AUXILIAR VETERINÁRIO 3 FORMAÇÃO PROFISSIONAL COM QUALIDADE da caça tradicional impeliu o Homem a inventar novas armas e a adaptar as suas técnicas de caça. Nesta fase, tinham de competir com os lobos que se alimentavam do mesmo tipo de presas e utilizavam as mesmas técnicas de caça em matilha com recurso a "batedores". Como tal, o homem teve, naturalmente, de procurar converter o lobo num aliado de caça, tentando, pela primeira vez, domesticar um animal muito antes de ele próprio se tornar sedentário e de se dedicar à criação de animais. Assim, o cão primitivo, era indiscutivelmente, um cão de caça e não um cão pastor. Resultados da seleção realizada pelo Homem Muito embora se encontre a descrição de "galgos" na paleontologia egípcia ou de "molossos" na história assíria, na realidade tratavam-se apenas de subespécies de Canis familiaris, variedades ou tipos de clãs. O aparecimento das raças caninas, tais como as conhecemos na atualidade, constitui um fenômeno muito mais recente do que a domesticação, uma vez que data da Antiguidade. Para além de algumas raças caninas, como o Bichon, cuja identidade racial foi possível conservar num território limitado, a maioria das raças caninas resultam da seleção exercida pelas nossas civilizações, da ação possibilitada pela domesticação e da orientação dos acasalamentos. O aparecimento de diferentes tip

Recently converted files (publicly available):